Carmen Jorge

 

Diretora, coreógrafa e performer. Licenciada em Dança pela PUC – Pontifícia Universidade Católica do Paraná / Teatro Guaíra e Pós graduada em Estudos Contemporâneos em Dança nas Faculdades UFBA / Angel Vianna (RJ). Estudou técnicas de dança clássica e moderna a partir de 1984 com nomes como: Sonia Motta, Décio Otero, Clarisse Abujamra, Jane Blauth, Eva Schull, Claudia Guitelman, Peter Ruiter, entre outros. Em 1993 inicia sua carreira como coreógrafa profissional, atuando em varias montagens de dança e teatro em Curitiba PR, recebendo várias indicações e prêmios “Troféu Gralha Azul” em Curitiba (www.teatroguaira.pr.gov.br). Em 2002 funda a Ar Co. – Companhia do Ar, hoje PIP Pesquisa em Dança, montando os espetáculos “A Casa dos Anjos” e “Motion” ganhando vários prêmios locais. No ano de 2003 coordena o espaço Cultural CIM – Centro de Investigação do Movimento e reformula a companhia dando novos rumos à pesquisa de dança e performance art. Ainda em 2003 e 2004 participa das pesquisas da “Casa Hoffmann – Centro de Estudos do Movimento, estudando com nomes como: Deborah Hay, Tere O´Connor, Shelley Senter, Xavier Le Roy, Simone Aughterlony, David Zambrano, La Ribot, John Jasperse, Thomas Lehmen, André Lepecki,Thomas Plischke, Lia Rodrigues, Helena Katz, Fabiana Brito, entre outros.

Em 2005 realiza o projeto “3 Mg – Gingaestética”, estreando em Nova Iorque numa parceria com os coreógrafos Luis Lara Malvacías, Jeremy Nelson e o Danspace Project.

Foi coreógrafa e assistente de direção no Projeto Parque da Ciência do Governo de Jaime Lerner participando do projeto desde a construção do circo teatro, passando pela audição nacional e trabalhando em dois espetáculos no Circo da Ciência com 23 artistas.

Concebe, dirige e performa no projeto de dança “MOBILLE” fazendo parte do programa “Difusão Cultural”, através de contemplação de edital lançado pela Fundação Cultural de Curitiba, levando a dança contemporânea para a periferia.

Em 2005 participa da Mostra de Artes do Mediterrâneo do SESC São Paulo no evento Mostra Internacional de Novos Coreógrafos em parceria com a Fabbrica Europa (Itália) sendo em seguida convidada para apresentar-se em Florença/Itália no Festival Fabbrica Europa. Apresentou-se nos SESCS Ipiranga, Belenzinho e Santana em SP. Em 2006 realiza novo projeto chamado “B A R R A C O” contemplado com o prêmio FUNARTE Klauss Vianna de Dança realizando temporada no SESC Avenida Paulista em São Paulo em 2007.

Ainda em 2007 inicia com a PIP uma série de procedimentos envolvendo experimentações de dança e tecnologia. Em outubro realiza “OB-GESTOS” e em abril de 2008 “LAB SIMBIOPTICO” pesquisando o uso do software ISADORA, a prática da Telemática e estudos para videodança.

Em 2009 aprova junto ao Fundo Municipal de Cultura de Curitiba o projeto de pesquisa de linguagem em Dança TECNOLABORATERRITÓRIO, onde cria sua primeira videodança CLIPIP recebendo premiação no Festival Tápias do Rio de Janeiro e sendo convidada a apresentar-se no SESC Pompéia. Concebeu e realizou a PIP POP Mostra de Videodança de Curitiba, incentivando a produção da videodança entre os artistas paranaenses.

Em fevereiro de 2010 realiza o projeto WE CAGE no Teatro Cleon Jacques em Curitiba, uma reunião de oito artistas multidisciplinares investigando as relações entre dança contemporânea e tecnologia, inspirada na obra VARIATIONS V do coreógrafo americano Merce Cunningham e do músico John Cage.

Foi contemplada com o premio Funarte Klauss Vianna 2009 com WE CAGE ME, projeto de circulação do espetáculo WE CAGE, sendo convidada a apresentar-se no evento “Diálogos” no Centro Cultural São Paulo em junho de 2010.

Foi contemplada com a “Bolsa Residência em Artes Cênicas” pela Funarte, em 2010 indo pesquisar nos EUA.

Em 2011 coreografou a companhia estatal Balé Teatro Guaíra realizando duas obras, “Coreografias para Ambientes Preparados – CPAP” e “DRAMA”, sendo CPAP considerado um dos melhores espetáculos do ano em 2011 pela Gazeta do Povo.

Em 2012 “CPAP” teve destaque na Bienal Internacional de Dança de Curitiba sendo convidado para a abertura do evento. Em 2015 apresentou o trabalho solo “Quero ter esta fé” inspirado e criado com o poeta, compositor e diretor curitibano Luiz Felipe Leprevost, estreado em junho em Nova Iorque.

Foi contemplada pelo programa O Boticário na Dança – 2015/2016 com o projeto “CLOUDS”.

Trabalhou como Diretora de Movimento em mais de 100 montagens teatrais. Entre as ultimas no processo criativo de “O grande sucesso” do ator Alexandre Nero. Vive e trabalha em Curitiba – PR – Brasil.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s